+351 276 990 900
    +351 276 990 900
    pt

    Termal

    A origem das águas


    A água mineral natural de Vidago, reconhecida pelas suas propriedades curativas, é usada em tratamentos e programas de saúde desenvolvidos sob a orientação de uma equipa médica altamente especializada.

    Valor incalculável

    No princípio, houve e sempre haverá… a água mineral gasocarbónica, "muito rara", "descoberta" no século XIX por um lavrador. Esta água "equilibrada, fina e delicada", sempre esteve associada a Vidago. Aliás, a história das águas de Vidago começou a partir do século XVI, época em que se acreditava ter propriedades terapêuticas e curativas. Recolhidas diretamente de captações profundas em terrenos de pura rocha granítica, estas águas são atualmente utilizadas em vários tratamentos exclusivos do Vidago Palace Hotel SPA. A elegância arquitetónica do hotel e do contemporâneo SPA – fresco e de linhas limpas - vem trazer uma nova dimensão ao famoso parque e hotel de Vidago, após séculos de um valor incalculável!

    Água exclusiva


    A água de Vidago é uma das mais ricas águas alcalinas. As suas propriedades são indicadas para facilitar a digestão, descongestionar o fígado ou ajudar a limpar os rins, entre outras.

    Desde há longas décadas que as Águas de Vidago fazem parte do quotidiano e da memória das gentes da vila. Devido às suas propriedades terapêuticas de excelência, tornou-se famosa e transformou-se, no início do século XX, na principal estância turística de Portugal, entre as maiores da Península Ibérica, destino de eleição da aristocracia portuguesa e europeia.

    O conhecimento desta riqueza natural surge no ano de 1863, mas é desde 1886 que a água de Vidago é engarrafada, podendo ser provada diretamente da nascente, na sua forma altamente concentrada e naturalmente carbonada. Existem atualmente quatro fontes que afloram à superfície no Parque do Vidago do Vidago Palace Hotel, sendo que apenas duas se encontram abertas para prova ou tratamento mediante indicação médica.

    A composição química da água de Vidago é ligeiramente diferente de uma fonte para outra, tendo no entanto todas em comum um conteúdo mineral excecionalmente elevado, em particular ferro, com propriedades terapêuticas. Há gerações atrás, os médicos receitavam especificamente uma fonte da qual beber e encorajavam os pacientes a fazer o "percurso da água”, tomando a sua dose diária ao longo dos caminhos do Parque entre um pavilhão e o seguinte. Hoje o mesmo se sucede!

    Estas águas procedem de quatro nascentes de águas minerais, frias, com mineralização hipersalina, composição bicarbonatada, sódicas e alcalinas, com teores de arsénico, ferro e flúor.

    Curiosidades históricas

    Sabia que…
    • Os romanos utilizavam a água de Vidago para beber e lavar o corpo porque acreditavam que esta curava as suas enfermidades?

    • Em 1863, um lavrador, vindo do campo, debruçou-se sobre uma pequena nascente de água e, embora tendo-a achado picante, logo de seguida sentiu alívio no estômago. Pois bem, este lavrador, de seu nome Manuel de Sousa, sofria de enfartamento, motivo que o levou nos dias seguintes a beber novamente da mesma fonte. Com tamanho bem-estar quem conseguiria manter segredo sobre esta água milagrosa? A verdade é que Manuel de Sousa deu a conhecer a sua descoberta e logo a noticia se espalhou…

    • A fonte de Vidago chegou a engarrafar 500 mil garrafas por ano. O engarrafamento era realizado desde o nascer do sol até à meia-noite por turnos de 4 mulheres e 3 homens. A venda era feita nas "pharmacias do reino”, tendo sido premiada, em 1878, 1889 e 1893, nas Exposições Internacionais de Viena, Filadélfia, Madrid, Paris e Bordéus, com medalhas de ouro e diplomas de honra.