+351 276 990 900
    +351 276 990 900
    pt

    Um dia em Vidago

    Situada à sombra da serra da Padrela, num vale fértil da margem de Ribeira de Oura, nasceu Vidago, pequena vila termal, outrora a sala de visitas transmontana da realeza e fidalguia. Afamada pelas milagrosas águas medicinais – carbonetadas, sódicas e gasosas naturais – esta estância termal proporciona repouso, cura, diversão e turismo.

    Julga-se que a sua origem remonta à época pré-romana, de acordo com os vestígios arqueológicos encontrados, como pela própria toponímia e situação geográfica, propícia à defesa castreja. Também os romanos não desaproveitaram a riqueza da região, quer no que diz respeito à água mineral, como à fertilidade das suas terras, fonte de vinhos de excelência e de produtos agrícolas de alta qualidade.

    Antes de despertar para as propriedades da sua água, Vidago era um povoado essencialmente agrícola, cuja vivência social se desenvolvia à volta do Largo do Olmo, local onde existia um secular Olmo e onde se encontra a Capela do Olmo (Capela de S. Simão), um dos seus monumentos de relevo, a par com outros, igualmente de cariz religioso. Salienta-se do alto do miradouro, de onde se pode apreciar a exuberante beleza panorâmica, a capela do Coto, ermida erigida em honra de Nossa Senhora da Saúde, local de romaria, cuja escadaria é muitas vezes usada para cumprimento de promessas. Com o desenvolvimento da vila, acelerado pelas propriedades das suas águas, foi necessário construir uma Igreja Matriz (1942), esta em honra da padroeira da vila, Nossa Senhora da Conceição, cuja arquitetura românica faz as delícias dos visitantes. No centro de Vidago antigo pode ainda disfrutar da arquitetura solarenga, com casas brasonadas que ajudaram a escrever a história da vila.

    A preciosa água mineral de Vidago está ao dispor dos visitantes no parque de Vidago onde a natureza homenageia, com todo o seu esplendor, quem por ai passeia. As termas de Vidago acolheram, nos últimos cem anos, grandes figuras da monarquia europeia, da política e das artes, que aí se deslocaram à procura das propriedades benéficas das suas águas. Vidago, Vidago II e Fonte Salus são as três nascentes de onde provém a água utilizada nos vários tratamentos.

    Todos estes cenários, desde os monumentos às paisagens encrustadas nas altas e graciosas montanhas envolventes, podem ser apreciados através de percursos pedestres desenhados ao longo desta vila e povoações vizinhas.

    A vila de Vidago, para além das águas medicinais, dispõe igualmente de vinho de qualidade, atribuindo-se a esta região vinhos brancos que rivalizam com os melhores do país, os quais, juntamente com os tintos, podem ser degustados em adegas tradicionais que entretanto se foram desenvolvendo na zona envolvente. Para terminar, nada como experimentar os produtos tradicionais; fumeiro, presunto ou a posta, num dos vários restaurantes ao dispor dos visitantes.